SETE PECADOS – IRA


Escrito por: Lucas Alves10806938_780563231991327_599238564_n

Minhas irmãs dizem que sou a mais brava da família, mas não sou tanto assim … O meu ex-namorado me suportava, mas não sei bem se era verdade, pois ele me traiu, e elas dizem que é por causa da minha Ira.

A festa está ficando chata, mas tem muitos homens bonitos por aqui, mas meu foco mesmo é o motorista da minha irmã Orgulhosa.

— Olá — falei com o motorista. — Podemos dar uma volta?

Queria levar ele pra um lugar deserto e me divertir naquele ROLL ROYCE GHOST.

— Não posso, sua irmã me mataria, se não encontrar o carro e seu motorista predileto aqui.

Encarei ele firmemente e disse…

— Você cala essa boca seu “bosta”, você vai comigo agora! Estou afim de pegar você dê “jeito” e fazer muitas loucuras nesse carro, vamos aproveitar, para de ser este excremento jogado. Quero sair logo daqui.

Ele olhou para mim sem jeito, olhou para os lados e abriu a porta.

— Não tenho muito o que perder mesmo, já que estou ferrado, quero curtir —disse ele decidido e com um sorriso no rosto.

Entrei no carro olhando para os lados, para ver se alguém tinha me visto ou até mesmo a minha irmã.

Ele engatou a primeira e fomos direto pra um parque deserto que tinha por ali.

Meu celular toca.

Hello, Baby!

— Sua vaca, eu vi você saindo com o meu motorista, acho bom vocês voltarem agora antes que eu mate os dois.

Olhei para o motorista e ri.

—Quem é? —perguntou ele já inseguro.

—Calma! É a minha irmã, querendo que a gente volte.

Ele olhou para mim e parou o carro.

—Devemos voltar então, imediatamente…

Revirei os olhos e tampei a boca dele com a mão.

—Calma minha irmãzinha, voltaremos logo, mas agora preciso dele. Então, cale a sua boca e vai chupar alguém que você ganha mais. Okay?! — dei um sorriso e desliguei o celular.

— Bom onde estávamos mesmo? —perguntei indiretamente.

—Temos que voltar logo, se não serei demitido.

Olhei mais irada pra ele.

— Cala a boca você está comigo. — puxei ele em minha direção e beijei-o.

Comecei acariciá-lo e percebi que já estava ereto.  Rasguei sua camisa e comecei a beijar seu peitoral definido e morder levemente…

— Faça tudo comigo, me morda, quero sua boca por todo meu corpo… — disse loucamente…

— Não passarei só a boca, mas sim algo mais. — falou com um sorriso e um olhar safado mordendo o meu corpo…

Escrito por: Lucas Alves

Anúncios