Pelas Noites de São Paulo! – Conhecendo um pouco mais


Escrito por: Lucas Alves

2014

 

Leia Anteriormente: Pelas Noites de São Paulo!

Pelas Noites de São Paulo!

Conhecendo um pouco mais

Acordei cansado e bem – disposto, fui ver novamente o vídeo com a Júlia da noite seguinte, já imaginava até como seria, pois nem a nossa concorrência fez algo do tipo.

O filme tinha quase quatro horas de duração, mas já dava para escrever um pouco sobre a “Puta e suas drogas”.

Fui para o escritório, e comecei a digitar tudo que tinha acontecido desde o bar até as transas.

Escrevi demais, a matéria já tinha cinco folhas até que eu ouço.

—Richard venha ao meu escritório!

Me debrucei na mesa, e comecei a pensar no que eu já iria ouvir. Mas na sei por que, tinha certeza que agora ia dar certo.

                Levantei e fui em direção ao escritório, entrei e já fui sentando.

—Bom dia! – me cumprimentou. —Quer café?

Achei estranho, mas aceitei. Peguei um pouco e bebi lentamente, encarei ele.

— Bom, e aí, já ta fazendo uma nova matéria? —perguntou-me.

—Sim, e creio que essa você vai adorar.

—Posso saber o que seria?

—Então, eu prefiro manter em sigilo, por que não acabei!

—Okay! Tomara que me surpreenda.

Sai da sua sala, e fui para o meu escritório terminar algumas partes. Estava cansado, fiquei muito tempo acordado, fui descansar. Desliguei tudo, e fui para o meu apartamento, cheguei e vi a zona que tínhamos deixado, olhei no lado da cama um baseado enrolado.

—Como deve ser? – pensei. Olhei como era feito, papel de seda e a planta toda esmagada. —Vou tragar um pouco deve ser como cigarro.

Acendi, o cheiro era tranquilizador não me importei, pois na noite toda, a Júlia fumou dois, mas o gosto é horrível.

—Que bosta… —comecei a tossir sem parar, um gosto horrível na minha boca.  —Que “merda” nunca mais.

Joguei fora o que tinha, e fui para minha cama, já era cinco da tarde, dava tempo de tirar um cochilo. Dormi tanto que acordei a meia noite, despertei com uma dor de cabeça e fui direto para o banheiro, vomitei tudo que tinha comido e aquele gosto de maconha na minha boca não saia de nenhum jeito. Fui para o meu quarto e me arrumei, descendo em seguida para dar uma volta de carro pela rua para ver o que eu achava de novo.

Parei meu carro em um cruzamento e uma mulher alta e forte veio em minha direção.

—Olá, tá afim de uma noite inesquecível? — perguntou.

—Quem seria você? —perguntei.

—Sou Roberta.

­—Entre, vamos ver essa tal noite inesquecível. —falei passando a mão na coxa dela. Saímos e subimos para o meu quarto e logo perguntei.

—Tem algum bagulho?

—Tenho maconha quer? —me ofereceu Roberta.

—Não obrigado, fique à vontade se quiser fumar! —falei enquanto puxava o celular do meu bolso e avistava uma mensagem da redação que dizia:

Richard preciso dessa matéria o mais rápido possível, me manda a primeira parte do seu assunto, pois quero dar uma revisada antes, pois se você não conseguir eu já vou por outra pessoa no seu lugar!

Grato, Claudio

— Algum problema meu lindo? — perguntou Roberta.

— Nenhum! Era o meu chef. O que me importa é você, pois quero a minha noite inesquecível!

Roberta me olhou e sorriu, veio em minha direção me agarrou e me beijou, tirando a minha roupa ligeiramente. Fui tirando sua camisa, pegando em seus seios volumosos. Até que, descendo minha mão pelo seu corpo, percebi que não era Roberta.

— Que porra é essa? — perguntei.

— Calma meu lindo, eu disse que ia ser inesquecível.

— Ma não sabia que você tinha um pinto — fiquei furioso com aquilo. — E agora o que vou fazer?

— Podemos fazer muitas coisas, que tal experimentar se não gostar não precisa pagar…

Olhei em seus olhos, depois vi que sua bolsa estava aberta e tinha um pequeno saco de maconha saindo de sua bolsa. Pensei na matéria, pensei nessa transa como seria, pensei em tudo.

— Okay! Tó a fim de foder, mas você não vai relar isso em mim, tudo bem?

Roberta sorriu e concordou com a cabeça, e veio beijando meu peitoral. Ela era linda, alta seios firmes, cabelos morenos e longos parecia mesmo uma mulher, mas o que me importa mesmo é a minha matéria e eu foder com ela ou ele…

Liguei a web cam para gravar e coloquei uma música…

Parece uma rosa
 De longe é formosa
 É toda recalcada
 A alegria alheia incomoda
Venenosa!
 Êh êh êh êh êh!
 Erva venenosa
 Êh êh êh êh êh!
 É pior do que cobra cascavel
 O seu veneno é cruel
 EL! EL! EL!
De longe não é feia
 Tem voz de uma sereia
 Cuidado, não a toque
 Ela é má
 Pode até te dar um choque

Não consegui ir a noite toda, Roberta era fogosa e bem gostosa, eu não aguentava mais.

— Foi maravilhoso! – disse ela ou ele…

— Até que foi bom mesmo.

Dei os trezentos reais para ela, e mandei ir embora, me deitei na cama e cochilei, escutei um barulho no quarto, mas não me importei e levantei a cabeça, vi um vulto, mas voltei a dormir.

Acompanhe as outras partes…

07.07.2014 – Trabalho noturno.

14.07.2014 – Voltei a ser quem eu era.

Anúncios