A solidão vista da Janela


Escrito por:Carlos Monteiro

solidão

Neste exato momento eu vejo a chuva caindo pela janela.

 

Eu sinto as lágrimas incorrendo com força e dor, destruindo a vela,

Lamento até hoje não ter ido contigo, meu amor de novela.

 

Tenho suas imagens na minha semiconsciência

Onde o barulho dos pingos no chão – me mata por dentro

Um dia você me disse: “Amar é a guerra contra a paciência”.

 

A chuva estás passando…

E eu não acredito mais em você,

Um abandono, uma fraqueza. Não suporto mais sofrer.

 

A infelicidade corroeu minha esperança!

Aniquilou o “para” sempre de uma criança,

Este é o meu segredo.

 

O silêncio tornou-se minha liberdade…

Tudo sangra, e a paz eu exclamo.

A chuva se foi, levando minhas marcas do chão.

 

Anjos do amor matem-me, antes que eu viva de animosidade.

Se eu morresse hoje, entendas que eu te amo.

Somente neste momento, a felicidade perpetuaria meu coração.

Mas a realidade não é assim, infelizmente, da vida eu só conheço a solidão.

 

Anúncios

2 comentários

  1. “E eu não acredito mais em você, Um abandono, uma fraqueza. Não suporto mais sofrer.”
    Nunca tive a verdade plena, nunca tive o pedido pleno, nunca tive a opção de escolher entre continuar com a situação ou não. Entre mascaras e maquiagens as pessoas se escondem, com medo absurdo de serem expostas aos seus verdadeiros sentimentos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s