Um pensamento que vai além do que já vivi até hoje!


Escrito por: Carlos Monteiro

desilusão2

Minha vida és fúnebre demais para considerar algo vivo nela, sou ludibrioso em acreditar em verdades, afinal fui criado assim. Quando me encaro no espelho vejo uma besta social, quando exponho minhas palavras, jorro uma nostalgia ambulante de emoções perdidas e encontradas. Mas sempre quando encontro algo, ou reencontro, meus pés desmoronam em um buraco sem fim… Quando estou caindo minha alma vai se desintegrando, tudo passa, tudo some, tudo foge, até mesmo o EU íntimo fugiu de mim.

Estou com uma alma abatida, encontro diariamente com uma loucura estampada em meu coração. Não quero mais me afogar no rio da desilusão, sou um poeta. O dono dos versos da vida, onde em cada estrofe rumo no destino dos fortes. Minha métrica é ser feliz… Mentira! Sou muito infeliz.

Queria voar para bem longe… Longe da escuridão, distante da solidão, só que, não consigo, elas invadiram meu coração. Invadiram minha alma. Tenho sede de água pura, pois minha fonte secou. Quero conhecer a esperança, discutir com ela uma vida melhor.

Obrigado por estarem comigo nesse momento. Termino este texto como iniciei, indo para bem longe de mim mesmo…

Anúncios