Filmes de Terror e suas Maldições


.

Durante os anos 80, filmes de terror eram uma verdadeira moda na indústria cinematográfica. Com o “estouro” de O Exorcista, em 1973, muitas outras produções do gênero foram criadas. O que os espectadores não previam, é que pouco depois, lendas surgiram tornando o “horror” das telas em verdadeiros pesadelos reais.

O Exorcista, que trazia efeitos especiais relativamente avançados para a época, horrorizou platéias, espantou as pessoas no cinema e levantou uma grande discussão sobre a fé, fato que se prolongou até 1976, com a onda do longa-metragem A Profecia.

Parte do sucesso dessas produções veio com as supostas “maldições” que elas carregavam. O Exorcista não só assustava por ser baseado em uma história real, como também divulgava em jornais e revistas que nove pessoas envolvidas no filme morreram de forma “estranha”. Outro fato que atingiu os sets foi um misterioso incêndio, barulhos sinistros enquanto as cenas da menina possuída eram filmadas (em um determinado dia, o diretor teria levado um revólver e atirado para o teto escondido) e o assassinato de um dos seguranças do elenco enquanto trabalhava.

Embora os acontecimentos nem sempre tivessem relação com a produção, tudo era motivo para que novas histórias macabras surgissem. Logo após o lançamento do filme, Linda Blair foi perseguida por alguns americanos. A garota não podia sair nas ruas nem ir a locais públicos que era temida por muitas pessoas. “Elas tinham medo de chegar perto de mim”, disse ela.

.

Alguns membros da produção de O Exorcista diziam que sempre sonhavam com coisas demoníacas e a equipe técnica sofreu vários acidentes enquanto o filme era rodado com paixão pelo diretor William Friedkin. Até a atriz Ellen Burstyn teve uma lesão nas costas depois de ter sido “levada” por uma corda do cenário.

Embora isso fosse considerado “acidente de trabalho”, para muitos fanáticos, essas situações eram fatos sobrenaturais que assolavam a produção.

Lenda ou não, muitas coisas aconteceram com outros clássicos do terror. Nas filmagens de A Profecia, que conta a história de um menino que nasce com a marca do anticristo, acidentes ocorreram. Bombas do IRA atingiram um hotel que parte da produção estava hospedado e o astro Gregory Peck quase viajou em um vôo que posteriormente matou algumas pessoas em um desastre aéreo.

.

Mortes

Poltergeist, de Steven Spielberg, colecionou acidentes fatais, assassinatos e mortes misteriosas em seu elenco. Logo após gravar o filme original, Dominique Dunne, que interpretou a adolescente Dana Free no longa de espíritos, foi estrangulada pelo namorado e morreu. Julie Beck, o assustador reverendo Kane de Poltergeist II, faleceu de um câncer enquanto filmava. Para o ator, a doença já não o assolava mais há dezoito meses.

A mais estranha das mortes, aconteceu mesmo com Heather O´Rourke, a menina de apenas onze anos que protagonizou os três filmes da série. Poucos dias após a filmagem do último longa (ele nem havia estreado), ela acordou com os pés inchados e pediu a ajuda da mãe. Heather levantou-se da cama e tentou tomar café, mas não conseguia engolir nada.

Kathleen, sua mãe, percebeu então que os dedos de Heather estavam roxos. Ao chamar a ambulância, a menina desmaiou no chão e teve que ser carregada pelos paramédicos. A caminho do hospital, ela foi vítima de uma parada cardíaca e morreu poucos minutos depois de ser levada ao centro cirúrgico de um hospital.

Na época, algumas religiosas protestantes afirmaram que as mortes acontecidas no elenco tinham influência da ação do demônio, que não gostava de ser “desafiado” pelo cinema.

.

Lendas Urbanas

Alguns filmes de terror, além de assustar nas telas, geraram uma série de lendas urbanas. Foi assim com a maldição de Candyman e com o famigerado Brinquedo Assassino.

O maligno boneco Chucky, que queria trocar sua alma com a de um menino com distúrbios psicológicos, foi o pivô para um dos maiores medos infantis. No final da década de 80, época em que foi lançado o primeiro Brinquedo Assassino, o Fofão (que tinha uma roupa muito parecida com a do boneco) foi considerado “amaldiçoado”. A lenda dizia que ele trazia um punhal em seu interior.

A boneca da Xuxa também foi uma das grandes “vilãs” dos baixinhos. Muitos falavam que a “versão de plástico” da apresentadora tinha alguns dotes “demoníacos”.

Outros filmes trouxeram inúmeras controvérsias ao “mundo real”. Trabalhos como O Bebê de Rosemary, A Hora do Pesadelo e Sexta-feira 13 seguiram com suas “supostas” maldições. Embora o cinema de terror não tenha a expressividade de antes, ficam os clássicos para relembrar os medos inseridos na própria realidade.

.

Texto do Blog: Isso Dá Medo

.

Anúncios