Encontros e Desencontros


universo1

Me aprofundei no meu maior lirismo

Procurando meus antigos passos – Caminhados…

Sou a liberdade dos ventos reparados,

Que leva a morbidez da face – Desgraçados!

Recontro em mim mesmo, a juventude tirana.

Onde os sonhos são sonhos, somente seu…

E a despedida caleja meu coração, pobre eu,

Vejo meu jeito pudico na mão desumana

Busquei a salvação nas palavras aflitas,

Nos olhares mentirosos e retumbantes…

Escutei a cortante narrativa.

Usei os vitoriosos desesperos

Ouvi o banho estridentes da alma comovida.

Derrotado pelos que foram e ficaram a deriva,

Nesta jornada encontrei os sonhos dos castigos,

Gritei no seu ouvido, minha dor!

Olhei para trás, eu vi um menino fugindo dos segundos…

Necessitando da sua saudação, do seu obrigado, meu amigo,

Meu Re – Aprendizado, um sentimento acabado e ressurgido, vai por ti meu amor.

Olho ao meu redor, chorando e crescendo, sendo somente, profundo!

Carlos Monteiro

Anúncios