Conto – Rosa


O senhor JM é um criador de rosas. Tem de todas as cores, mas prefere as vermelhas. Ele ainda acredita no amor! Mora em um apartamento Sozinho… Na varanda é onde cuida de suas belas rosa.

Ele é muito solitário, praticamente não tem amigos, trabalha em casa. Dizem a má-lingua que é um escritor. O que ele escreve? Ninguém sabe! Ele deve assinar com um pseudônimo. Outro dia resolveu sair para comprar alguns alimentos. No caminho, imaginava algumas palavras se encontrando e surgindo essas frases:

— Se eu pudesse… Dar-te-ia uma rosa de presente.

Ela seria diferente,

Teria todo meu afeto.

Isso porque, você é um dos mais belos ser…

A rosa é bela! Cheia de espinhos… Por isso, não posso senti-la com minhas mãos.

Você reflete carinho e amor. E posso carregar em meu coração!

Depois disso, acordava. Sabia que esses pensamentos eram bobos demais. A vida não era construída em parágrafos e sim, em atos. Ato que ele tinha medo, nunca teve sorte no amor, nunca teve sorte na vida. Sempre chorou por alguém quem nem entrou… Mas já estava de partida.

No mercado, comprava seus mantimentos, quando terminou foi para fila do caixa. Por incrível que pareça, no mesmo lugar tinha uma moça. Não uma mulher qualquer, aquela pessoa, tinha sido o último amor da vida dele. Ela terminará com ele, sem motivos aparentes. Ele sofreu demais. O pior de tudo, que foram oito meses intensos, e no final, houve o fim!

— Oi Débora!

Ela olha para trás, percebe quem era. Faz aquele sorriso discreto e sem graça. Respondendo em seguida.

— Oi JM Como estás?

Nervoso, com raiva, sentindo – se alegre. Dá uma resposta seca.

— Bem! E você?

Ela meio distraída, parecendo procurar alguém.

— Ótima!

Tentando puxar assunto, JM se acalma.

— Você não atendeu mais as ligações… Ela o interrompe!

— Desculpe, mas o meu namorado chegou. Não atendi porque não queria.

Desconcertado, fica sem reação, e diz a ela, que se esqueceu de pegar um chocolate. Alega que foi bom encontra-la e, sai dali. Não queria ver quem era este novo namorado, já tinha até desistido de comprar suas coisinhas.

No caminho de volta, relembra o passado, mesmo que ele virasse sua cova do presente, não entendia porque ela tinha terminado. Lembrou-se de algumas imagens:

Ele estava em uma praça, olhando uma rosa. Ela o parou, pediu uma licença, pois queria tirar uma foto, daquela rosa vermelha. JM, não tirou os olhos daquele ser, era uma mulher tão bela, com sua sutileza, o encantou. Muito tímido conseguiu puxar assunto. Claro que era sobre rosas. Quando ela foi embora, aconteceu algo que ele não entendia. Será que era amor, nunca tinha amado.

Conseguiram se encontrar outras vezes, até que iniciaram um relacionamento. Ele estava tão feliz, nunca tinha sido tão contemplado com a felicidade. Era o melhor momento da vida dele. Até que do nada, e sem motivos ela terminou…

Juan chegou a casa, muito triste por ter visto aquele semblante de novo, e para piorar, acompanhada! Pegou um papel e começou a escrever:

— Com meus olhos, olhei…

Com palavras, falei…

Com meu toque, toquei…

Com meu beijo, beijei…

Com meu amor, amei…

Naquele momento, tentei…

Então, onde foi que eu errei…?

A história de um homem, que amou…amou…Mas no final, houve o fim!

 

Amo as rosas, principalmente as vermelhas! De tanto amar, gosto de vez, ou outra, brincar de escrever sobre elas(rosas).

Qualquer coisa, vejam minhas poesias dedicadas as rosas…

Para ler a Parte I, acesse este link: https://regozijodoamor.wordpress.com/2012/11/09/rosa/

Para ler a Parte II, acesse este link: https://regozijodoamor.wordpress.com/2012/11/16/rosa-ii/

Para ler a Parte III, acesse este link: https://regozijodoamor.wordpress.com/2012/11/27/rosa-final/

Carlos Monteiro

Anúncios