Mensagens do PROFETA


 

Era meio-dia exatamente, em um bairro distante, caminhava um rapaz. Ele tinha em suas mãos, um papel, continha um endereço, procurava a residência de um tal homem, cujas pessoas o chamavam de Profeta. O problema dele era simples, queria ser feliz.

Chegando ao local, percebeu que estava no ambiente certo. Notou um pequeno tumulto na frente da casa. Ficou ali, na fila, esperando sua vez, até que depois de duas horas, foi a vez dele.

Entrou e foi guiado por uma moça, ela o levou ao Profeta. O atendimento naquele dia estava acontecendo no quintal dos fundos. A senhorita mostrou o Profeta, ele cuidava do jardim. Dali para frente, seria com o rapaz.

Com receio e medo, se aproximou.

— O que você esta fazendo, Profeta? Gaguejando.

O Profeta vira-se para o Rapaz, sorrindo.

— Estou cultivando meu vício!

O seu melhor e maior passatempo era estar em contato com a natureza. Não importa a maneira.

— Gosta tanto assim, de plantar?

Como não sabia como dizer o motivo de sua ida, estava desconcertado e procurando assunto com o Profeta.

— Sim! Meu hobby é cuidar da natureza, principalmente dessas plantinhas pequeninas…

Depois desta fala, o Profeta, pega do seu lado o saco de terra preta. Olhando para o rapaz, resolve questionar.

— Você gosta de plantas?

Surpreendido com aquela questão e com receios da resposta, pois, na sua frente tinha um Profeta, e se mentisse, sua máscara poderia cair, então, prefere dizer a verdade.

— Sinceramente, não gosto de plantas. Engole sua saliva em seguida.

Com uma alegria irreparável, o Profeta, prossegue.

— Desta plantinha aqui (Mostra para o rapaz), você gostaria. Tenho certeza! Sabia que dei um nome para ela?

Estranhando aquele papo, faz o que deve ser feito.

— Mesmo? Como você a chama?

O Profeta levanta, olha para o céu todo azulado, um dia coberto pelo sol, pega um balde cheio de água, lava suas mãos ali mesmo, secando na própria calça. Assim, que seca de vez, vai na direção do rapaz, parando em sua frente.

— Meu amigo! Todos me procuram querendo respostas, acreditam que eu realmente possa ajudá-las, só que, talvez eu não consiga. Quer ser feliz? Caminhe… Garanto que na estrada da vida, encontrarás um selo perdido, buscando ser colado na carta da felicidade. Bem, já ia esquecendo…

O rapaz ouvindo atentamente, aperta seu coração com uma força enorme. Murmura as palavras…

— O que o senhor ia esquecendo?

— Do nome da plantinha. Ela se chama virtude! Eu planto virtudes…

 

Para conhecer mais sobre o Profeta, leia: https://regozijodoamor.wordpress.com/2012/10/11/profeta/

 

 

 

 

 

Anúncios