Tua Imagem III


Depois daquele encontro perturbado, Ana vai para casa. Não entendia nada que estava acontecendo naquele dia. Uma avalanche tinha caído em suas costas. Um passado tão macabro reaparecia na sua frente. Alguém que ela não queria mais conviver, tinha voltado. O mundo tinha esvaecido em seus pés. Foi para o ponto de ônibus. Pegando o primeiro que passou, queria pensar muito. Sua mente coabitava desta forma:

— “É difícil lutar contra os sentimentos, é doloroso respirar o mesmo ar que aquele canalha. Uma vez ele me abraçou com seus braços fortes, e em outro momento, me deu uma surra, as mãos que afaga, também são amargas”.

Ela acabou chegando em casa. Quando colocou os pés dentro da sala, sua tia avançou com tudo, na curiosidade que consumiu sua cabeça durante todo dia.

— Oi, Ana! Me conte tudo. Ele foi ao seu encontro.

— Como a senhora sabe? Surpresa.

— O rapaz passou por aqui… Então?

Ana, já com o rosto triste, e com os olhos lagrimejando, avança nos braços da tia.

– Tia, eu não consigo lutar mais. Hoje fui tão infeliz, tão imperfeita… Não quero sentir esta dor, não quero sentir mais nada. Me ajude, por favor, eu suplico!

Emocionando com sua sobrinha, a Tia nota, que acabou fazendo um grande erro, entregando o endereço do serviço da sobrinha para Juan.

— Ana, não posso dizer nada que possam curar esta sua ferida, as palavras caem diante de ti, pois, percebem que em você só existem buracos. Porém, tem que ser forte agora. Que tal encontrar outro amor? Esta na hora!

— Como assim outro amor? Indignidade. — Foi um amor que acabou comigo. Faz tempos que não vivo comigo mesmo. Tudo por causa dele. Agora ele volta e pronto. Fui maltratada, foi destruída toda a beleza do amor, hoje eu sei que o silêncio é tão bruto e tão rudimentar, que cala meus pensamentos.

Entendendo que sua sobrinha estava fragilizada, resolve sentar no sofá, ela tinha que fazer algo.

— Sente aqui comigo. Eu compreendo que esta consumida, que o amor te deixou vazia. Acredito que não pensa mais em cara – metade, ou, coisa do tipo. Deve ter morrido dia após dia. Se acomodou com tudo isto. Vou – lhe dizer algo, sua avó, sempre relatava para gente que o amor era um ADT.

Sem entender esta sigla, Ana, questiona sua Tia.

— ADT? O que isso quer dizer Tia.

— Sua avó alegava que era: o amor, destino e tempo. Que se esses três fatores andassem juntos, do início ao fim, o seu relacionamento estaria salvo. Ame pelo destino e pelo tempo, ame os caminhos que se abrem na sua frente. Inclusive foi à receita do seu casamento duradouro.

Ana deu uma pequena risada e, com uma energia mais aliviada, resolve conversar.

— Tia… Respeito esta história. Respeito à senhora, ainda mais, que depois que minha mãe faleceu, foi você que deu amparo. Entretanto, tenho uma dor, que caleja meu corpo, apodrecendo minha alma! Já chorei demais por ele. Convivi durante um ano com o Juan, ele me mostrou o paraíso. Você não o conheceu, quando veio para São Paulo, ele tinha sumido. Seu amor era puro e verdadeiro, me sentia realizada todos os dias. Do nada ele desapareceu, eu era quente de amor, hoje sou fria de tanta dor. Sinto muito Tia, por lhe mostrar tanta fraqueza e franqueza.

— O que isso minha pequena. Eu te amo muito.

Depois desta última fala, as duas se abraçam, Ana, pede licença, mas resolve ir tomar um banho e colocar a cabeça em ordem.

— Obrigada Tia. Boa noite!

Caminhando pelos corredores da casa, até chegar à sua porta, ela abre e fecha em seguida, deixando tudo vazio… Sua Tia entendia que ela precisava de um tempo para digerir o que estava acontecendo naquele momento. Ana tinha uma coisa me mente, que tudo que aconteceu, fazia ela se estremecer de tanta dor.

Na noite, as sombras da dor.

Escuridão da alma,

Cega pelo amor!

Que lutam por um novo alvorecer…

De frágeis palavras,

Pontos, vírgulas, e um breve morrer.

As vozes estão caladas.

Repletas de marcas e agonias…

Onde vejo o seu reflexo dia após dia!

Portanto, hoje estou de luto.

Pela dor imensa,

E o tempo… Que marcou as rugas de meu rosto!

Contínua…

Para Saber mais:https://regozijodoamor.wordpress.com/2012/09/30/tua-imagem-carta/

https://regozijodoamor.wordpress.com/2012/10/02/tua-imagem-i/

https://regozijodoamor.wordpress.com/2012/10/04/tua-imagem-ii/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s