Tua Imagem II


A moça não acreditava em quem estava na sua frente, um homem que ela tinha jurado para seu coração que esqueceria. Um homem, que a ludibriou, mostrando uma felicidade falsa, um cara que tinha entregado o amor em suas mãos e, logo em seguida, destruído o mundo em volta de seus pés. Naquele exato momento, um filme do passado foi resgatado em sua memória, da sua chegada em casa, o encontro com o bilhete, a dor da ausência, as humilhações sofridas pela sua família, o não entendimento, o porquê ele tinha feito aquilo com ela, todos os porquês? Todas as noites não dormidas, tudo retornou… A única palavra que ela conseguiu expressar foi:

Não acredito que é você!

Sim, sou eu! Eu voltei.

Como assim, voltou? O que aconteceu contigo?

Aconteceram tantas coisas… Ele tenta se aproximara dela.

Automaticamente ela se afasta dele, aquela surpresa inicial tinha acabado. A euforia tomava conta de seu coração, principalmente as lembranças ruins, mais uma vez ela estava sendo rasgada por dentro. Rever o seu amor, e o homem que a destruiu, não foi bom.

Não quero discutir com você. Por Deus, por que me abandonaste?

Suas palavras eram amargas.

Tenha calma! Vou – lhe explicar tudo que ocorreu. Saiba que voltei querendo sua pessoa somente para mim. Quero viver novamente ao seu lado, amar-te de novo, não pedirei mais nada, além disso…

As lágrimas já escorriam na face de Ana, ela estava totalmente nervosa, começou a balançar a cabeça para todos os lados, sem entender nada. Até que disparou a falar.

Como assim? Voltou e me quer! Quando você sumiu, eu fui podada, fui mutilada, fui maltratada pelo seu sumiço e silêncio. Não anseio mais a droga do seu amor. Não quero este sentimento para mim, com seu desaparecimento, a única lição que restou foi que o amor é um consolo dos tolos… Sabe Juan, depois de você, não consegui ficar com mais ninguém, ou, ninguém me quis. Não importa a ordem, eu mudei, para pior. Eu me esqueci do coração, vivo apenas em função de minhas obrigações, tenho náuseas de ver pessoas diariamente se amando. Tudo por sua causa!

Juan, percebendo o descontrole de sua amada, pede calma para ela, para que eles pudessem dialogar.

Calma meu amor. Esqueça essas dores, deite ao meu lado novamente para que assim, possamos conversar.

O quê? Acalmar-me? Deitar ao seu lado? Escute-me bem agora: – Tenho nojo de você! Desgraçado que me condenou. Veja você é um futuro, um passado, e agora quer me enterrar no presente.

Não quero fazer isso…

Ela o interrompe.

Eu sou dura hoje em dia, meu sentimento mais puro está pregado em pedras, dentro deste cemitério, não quero mais amar, sou seca por dentro, não te quero mais, nem de sua imagem suja e imunda.

Ela estava dura, suas palavras viam carregadas de ódio. Ela já chorava e gritava sem noção de estar em seu trabalho e algumas pessoas já olhavam o que acontecia. Juan percebendo este fato pede para ir a outro local.

Ana vamos fazer o seguinte, iremos para um local mais tranquilo, seu ser aproveita, toma um pouco de água e lava seu rosto. Podemos fazer isso?

Não vou a lugar nenhum contigo. Sempre imaginei que suas palavras eram furações para meu coração, mas não, era o contrário, eram furações sim, somente com a intenção de destruição. Sua voz não acalenta mais meus ouvidos.

Ele tenta se aproximar de novo. Desta vez ela deixa, ele pega em suas mãos e olha em seus olhos.

Não quero que me ouça, pois, entendi que estás contaminada por tudo que fiz. Ouvir-me agora, seria bestialidade. Peço que me olhe, olhe em meus olhos, e depois feche os seus. Assim, garanto que me amarás. Pois, os olhos são as portas para o coração.

Ela larga as mãos dele, empurra para longe dela.

Suas palavras não tem a mesma força de antes. Deveria ser preso, por condenar a poesia e suas rimas em prol de suas safadezas, este seu disfarce não funciona mais comigo.

Ao terminar suas palavras, ela se afastou dele, dizendo:

Saia daqui. Não volte mais. Suma… Desapareça!

Antes de ir embora, ele foi à direção dela, querendo simplesmente expressar algo.

Calma, nossos caminhos habitaram inicialmente juntos, tivemos que desviar para um processo de aprendizado.

Ela virou-se com olhar de horror, e com um semblante irônico.

O único caminho que me mostrou, foi o do inferno.

Não digas isto! Eu tenho que relatar minhas viagens a ti.

Não quero saber. Tenho que dar um banho em um morto.

Virando-se em seguida e continuando sua caminhada até a porta. Antes de entrar na sala, ela olha para trás. Ele aproveitou para gritar:

As lágrimas podem purificar seu coração. Entenda que somos mal preparados para perder e, para se reencontrar, terás que saber que não existe liberdade sem regras. Confie em si próprio e saberás como viver. Fui um boçal ao fazer isso contigo. Quero que saiba, amanhã estarei em nosso lugar, te esperando antes de partir novamente.

Ela entrou. Ele ficou por alguns instantes parado olhando para a porta que acabava de se fechar. Passou a mão no rosto, com um pensamento:

“Meu amor, nosso coração precisa de uma batida nova, precisamos encontrar nossas melodias, eu queria poder lhe dizer o que carrego dentro de mim, expor que, quero estar contigo, quero comunicar algo indevido, e no meu coração, o segredo de minha mente. Te amo tanto que minha alma dói”.

Juan levanta sua cabeça, apara uma lágrima que iria escorrer por sua face, vira-se e segue seu caminho.

Contínua…

Para Saber mais:https://regozijodoamor.wordpress.com/2012/09/30/tua-imagem-carta/

https://regozijodoamor.wordpress.com/2012/10/02/tua-imagem-i/

Anúncios