Poesia – Anjo sem Asas


Andei brincando de rimar rimando!

E nesta cirando desenvolvi este vídeo com um poesia, que pelos acessos que tivemos, caiu no gosto das pessoas…

https://regozijodoamor.wordpress.com/2012/08/09/anjo-sem-asas/

Espero que gostem!

Abraços

Att,

Carlos Monteiro

Anúncios

7 comentários

  1. Querido Carlos,

    Assisti seu video: ” Anjo sem Asas”

    Dentro de um mausoléu perdido foram injusto com este réu, ele só tinha roubado o mapa do céu. Queria o doce apodrecido para acalentar sua jornada de pés descalço e sua face do nada seria com o coração desflorecido, almejava a Bíblia do Amor; obsoleto obscura és o ideal para seu sentimento que conhecia o reverso, o peito cheio de vingança, não poder saber viver, caia de joelhos buscando somente a esperança.
    Um anjo desejando a liberdade encarando a história de sua alma pronto para voar, deixando para traz todo tipo de saudade, uma ardência? conhecer a calma, pois no final de sua trilha conheceu uma face.

    Ahhhhhhhh… Enfim irei amar!!!

    obs: Ouvi muitas vezes seguidas para escrever sua fala, algumas palavras tentei de tudo entender, mas creio que errei em alguma acima, se puder corrigi-as para mim.

    Sobre esta poesia sobre: ” Anjo sem Asas ” , poderia dizer que tu fizestes um breve resumo sobre a parte de Gênesis (biblico), o que mais me intrigou quando no final tu disseste com uma voz serena onde o mar se acalma querendo não sentir as ondas bravias, num impeto escorregasse desviando o foco e deixou por um lapso seu coração recitar >>>> NO FINAL DE SUA TRILHA CONHECEU UMA FACE …. AHHHH , ENFIM IREI AMAR.

    Desta forma não pude deixar de viajar em seu pensar, naveguei em aguas tranquilas, num lugar deserto, onde não há nada que poderia estragar a contemplação da alma, minha veste caiu por terra, senti-me totalmente nua, o eco de cada palavra que saia de sua voz, fez tremular os cantos mais obscuros do meu íntimo ser, por um instante apenas fora descoberto o que não queria sentir, em sobressalto e com uma forte dor, os dedos queriam expor num papel a sua explanação e nesta mistura de palavras sangrentas arrancada violetamente escorreu em linhas o desespero de uma face que sempre vivia escondida, onde o mundo jamais veria…

    Lívia *.*

    bjs…

    • Olás,

      Lívia, o que posso descrever de suas impetas palavras?
      Sua maneira de manejar a formação de palavras comove amplamente meu olhos, que não consegue fugir de nada que escreves… Sobre esta poesia, ela nasceu em mim, quando menos esperava e, agora sei, ela é uma ponte para o meu universo, para um mundo melhor. Tem dias que temo escrever, e tem dias que adoro te ler.
      Mais uma vez, obrigado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s